#04 Nossa Voz Cuida com Dr. Ricardo Faria e convidados

Começar a ouvir

No quarto episódio do podcast Nossa Voz Cuida, temos as participações especiais do Dr. Ricardo Faria, médico do trabalho da DSM; a nutricionista Siene Rodrigues; a psicóloga, Aline Dermiglio e a preparadora física, Flávia Costa; profissionais da área de saúde e bem-estar da DSM. Dessa vez, falaremos da importância do autocuidado em tempos de pandemia e as principais dicas que podem nos ajudar a aplicar no nosso dia a dia.

_Vinheta

Mariana: Olá, eu sou a Mariana e esse é o quarto episódio do Nossa Voz Cuida, um podcast da DSM Latam. Hoje, nós teremos convidados especiais para falar sobre um tema importantíssimo para todos nós: o autocuidado em tempos de pandemia.

Com o aumento de pessoas infectadas com a COVID-19, precisamos redobrar a atenção sobre nossa saúde e o bem-estar da nossa família. Por isso, nós convidamos profissionais para nos orientar sobre simples práticas que podemos aplicar no nosso dia a dia.

Então, pessoal, quero dar as boas-vindas ao Dr. Ricardo Faria, médico do trabalho da DSM. Seja bem-vindo, Dr. Ricardo.

Dr. Ricardo: Obrigado pelo convite!

Mariana: Nós que agradecemos. Também temos aqui hoje a nutricionista Siene Rodrigues. Oi, Siene, tudo bem?

Siene (nutricionista):  Tudo bem, Mari. Obrigada pelo convite!

Mariana: A psicóloga Aline Dermiglio.

Aline (psicóloga): Olá a todos. Obrigada pelo convite!

Mariana: E eu quero chamar também, para completar esse time, a Flávia Costa, preparadora física.

Flavia (preparadora física): Olá, tudo bem? É um prazer estar aqui com vocês!

Mariana: Pessoal, nós estamos vivendo uma nova onda de contaminações pela COVID-19 e, desta vez, também de influenza. Sabemos que o fato de estarmos vacinados é um fator importante para que os casos graves sejam cada vez mais raros. Dr. Ricardo, quais são as suas orientações para passarmos por esse período sem danos a nossa saúde?

Dr. Ricardo: Sabemos que hoje a saúde integrada é baseada no estado físico, mental e intelectual, e que temos hoje o nosso programa Vitallity que, tem uma visão da saúde 360º baseada em seis pilares: a nutrição, exercícios físicos, descanso, saúde mental, o social e o intelectual – o equilíbrio entre os seis pilares traz uma saúde saudável para nós, e como consequência, uma saúde saudável traz uma melhor imunidade junto com a vacinação que é superimportante, pensando hoje na vida com COVID.

Mariana: Bem lembrando, Doutor. Mesmo que haja a flexibilização do isolamento social nos estados, não podemos esquecer de algo muito importante: a vacinação, né? Explica pra gente, doutor: quando uma pessoa pode ser considerada completamente vacinada?

Dr. Ricardo: Uma pessoa completamente vacinada é aquela que tomou as duas doses da vacina. Hoje, o Brasil está oferecendo a dose de reforço, então quem tomou a mais de 4 meses a segunda dose, vale a pena tomar o reforço. Isso vale para os empregados, familiares, amigos… Acho que quem se importa com a saúde do próximo tem que correr atrás da vacinação e orientar da melhor forma possível.

Mariana: Realmente é muito importante orientar quem está próximo. Falando nisso, você pode explicar um pouco sobre a vacinação para as crianças, afinal, a vacinação infantil já começou na maioria dos países, não é?  

Dr. Ricardo: Chegou uma fase importante da vacinação, que é a parte de vacinarmos nossas crianças. Hoje a faixa etária indicada é dos 5 aos 11 anos, e temos duas vacinas para nossas crianças, que é a Pfizer e a vacina da CoronaVac (Sinovac). Então é importante que todas as crianças se vacinem. Então se você se preocupa com seu próximo, falando do seu filho, do seu sobrinho, seu parente, seu amigo… oriente ele a se vacinar.

Hoje a Ômicron, a gente sabe que não conseguimos evitar que a gente se infecte, mas conseguimos evitar que a pessoa tenha um agravamento da doença. Isso é importante! Então a gente tem que pensar em nós e na saúde coletiva também!

Mariana: Com vacina tomada e alimentação regrada, podemos imaginar que o corpo estará 100% pronto para uma vida saudável, mas a gente tem outros pontos importantes: a rotina de exercícios físicos e cuidado com a Saúde Mental para reforçar a saúde de forma integral.
Como introduzir os exercícios físicos na rotina, Flávia?
Flavia (preparadora física): Olha, eu costumo dizer que a gente tem que começar com pouco, ou seja, uma meta baixa para que possamos atingir ela e não se sentir frustrados porque não atingiu, sabe?

Então assim, nesse tempo que a gente está vivendo, uma caminhada que seja, num lugar amplo, que não tenha muita gente, qualquer caminhada que você faça, já está valido.

Dá um jeito de qualquer lugar que for no dia, você coloca uma meta para ir naquele lugar a pé. Pronto, já leva alguém da sua família, seu cachorro para passear, você já sai de casa, você respira e fica ofegante, não desiste. No dia seguinte você aumenta um pouquinho, então a meta é: metas pequenas sempre. A gente não pode abraçar o mundo, não adianta falar que vai fazer corrida. Não precisa disso, a gente precisa começar pensar pequeno, de pouco em pouco e dar exemplo, para nossos filhos, principalmente.

Mariana: Aproveitando a deixa, Flávia, quais são os caminhos para que todos os membros de nossas famílias pratiquem alguma atividade?
Flavia (preparadora física): Se os nossos filhos verem que ficamos o dia inteiro somente dentro de casa, porque tudo que a gente faz, a gente faz de carro, não adianta a gente falar para eles serem mais ativos. Eles irão olhar para gente e nos ver como exemplo.

Mariana: Somos os primeiros exemplos para nossos filhos em tudo!  

A gente tem que mudar um pouco essa percepção de que exercício tem que ser na academia.  A gente pode fazer isso saindo na rua, indo até uma praça, escada do condomínio também, qualquer coisa já é válida.

De pouquinho em pouquinho a gente vai melhorando o sedentarismo.

Mariana: A gente vai de carro até a academia para andar de esteira, né?

Flavia (preparadora física): E aquela escada rolante, que agora tem, né? Tem gente que mora no 9º andar e vai de elevador.

Mariana: Nós sabemos que manter uma alimentação saudável é um dos pilares para uma boa saúde. Dra. Siene, quais são as informações que você acha primordiais para que uma família de 4 pessoas consiga manter uma boa alimentação?

Siene (nutricionista):  Sim, Mari. A alimentação é fundamental para manutenção da saúde! De forma geral, eu diria para que a base de alimentação da família seja composta por alimentos in natura ou minimamente processados e para evitar alimentos os ultraprocessados (são aqueles alimentos produzidos com a adição de muitos ingredientes como sal açúcar, vários tipos de gorduras, proteínas isoladas). Enfim, este é o primeiro ponto.

O segundo é adquirir o hábito de ler rótulos de alimentos para além do prazo da validade. A maioria das pessoas olham apenas o prazo da validade e o rótulo traz várias informações para gente sobre o alimento como colorias, quantidade de alguns alimentos por porção, data de validade, se possui ou não ingredientes alergênicos e entre outras informações.

Aqui eu quero chamar atenção para lista de ingredientes, passar a observá-la.

Mariana: Em que devemos prestar atenção? Em siglas? Explica prá gente!

Quanto maior for maior a lista de ingredientes (isso é uma dica), menos interessante do ponto de vista nutricional e pensando também na nossa saúde, menos saudável é o produto. Esses são os alimentos ultra processados, lembra aquele que disse para gente evitar? Então, quanto tempo menor o número dos ingredientes, mais próximo ele estará dos alimentos em natura, que são aqueles que devemos compor a base da nossa alimentação.

Isso vale para todos, família grande, família pequena, casal, para que mora sozinho, enfim… Ele vale para todo mundo!

Mariana:  Agora, Dra. Siene é muito complicado aderir esse estilo de vida? Quero dizer, ficar mais atento aos produtos?

Siene (nutricionista):  Para quem está começando, para quem pretende mudar o hábito, vai demorar um pouco mais para organização, planejamento, enfim… Pensa: se você vai ao mercado, normalmente, e está acostumado a pegar produtos de forma aleatória, daí você começa a ler rótulos, por exemplo, de início vai demorar um pouco mais para você fazer suas compras, mas na proporção que você vai fazendo e construindo habito, esse tempo vai reduzindo e você, como eu falei, passa fazer de forma natural e nem percebe que está fazendo.

Mariana: Bom, diante de tudo isso que você falou, quais os aliados para reforçar o sistema imunológico para além dos alimentos?

Siene (nutricionista):  Alimentação saudável, boa hidratação, prática regular de exercícios físicos, sono de qualidade e bom gerenciamento de estresse. Esses são alguns pontos essenciais para manutenção da saúde e para reforçar nosso sistema imunológico.

Mariana: Pois é. Mas e a nossa cabeça? Como manter uma mente saudável diante de tantos desafios que estamos passando nos últimos tempos? Você pode esclarecer para gente, Dra. Aline?
Aline (psicóloga): Nós vivemos um período de medo e muitas incertezas sobre como será nosso futuro, então segue algumas dicas/orientações para te ajudar:  

– Procure cuidar dos seus pensamentos, traga pensamentos e momentos positivos para sua memória;

– Resgate memórias afetivas, mais lembranças com seus amigos e familiares, pois isso ajuda dar conforto e segurança emocional, pois sentimentos negativos tende a trazer dor, sofrimento ou sentimento de impotência e, geralmente, são maiores que a realidade.

– Procure também administrar suas expectativas, por enquanto, não faça planos a longo prazo, como uma viagem, organizar participar de festas ou eventos. Você não está abrindo mão do seu sonho/projeto, mas apenas tomando uma ação para evitar frustrações.

A frustração nesse momento pode causar angústia, tristeza, frustração e até raiva. Se a gente puder evitar, entendo ser o melhor.

Mariana: Esses são sentimos e sensações internas. E como se cuidar com relação a fatores externos?

– Evite ler notícias ruins, as famosas fake news. Normalmente elas vêm sem embasamento e são informações que podem causar ansiedade. Entenda que a ansiedade é movida pelo medo e insegurança. Então evite, alimentá-la, nesse momento, as más notícias.

-Viva o hoje, se cuide fisicamente e procure viver uma vida mais normal possível. Não se esqueça de todos os cuidados como o uso de máscaras, uso de álcool em gel e evite aglomerações.

– Procure falar com amigos e familiares, pode ser presencialmente ou pode ser por videochamada. Faça passeios ao ar livre, procure ter hábitos saudáveis.

Mariana: Quais sinais para a procura de ajuda? E mesmo sem um alerta, como cuidar melhor da nossa mente?

Aline (psicóloga): Quando tenho dificuldade para dormir, quando estou dormindo muito ou muito pouco, quando minha alimentação não está bacana, quando percebo que estou comendo bastante ou deixando de me alimentar, quando começo a sentir muita tristeza, desanimo sem motivo aparente, muito cansaço, falta de ar, enfim… esses são alguns dos sintomas.

Percebeu que não está bem? Compartilhe, converse com alguém próximo ou querido, diga sobre o seu sofrimento e procure por ajuda profissional (de preferência por um psicólogo ou psiquiatra). O mais importante é que esse período vai passar e nós precisamos manter bem e saudável.

Mariana: Pessoal, hoje nós aprendemos muito mais sobre saúde! Entender que nosso corpo e mente precisam muito mais do que imaginamos nos ajuda a manter os olhos e ouvidos atentos aos sinais para reforçar o autocuidado em todas essas áreas. E, na DSM, todos os colaboradores já possuem ferramentas para esse cuidado e têm autonomia para buscar as soluções por meio do programa Vitality.

Dr. Ricardo, será que você pode nos contar um pouco sobre os caminhos para o uso desses recursos disponibilizados pela DSM?

Dr. Ricardo: Claro que posso, Mari. Nós da DSM, temos um aplicativo de saúde chamado Avatar da Saúde, ele é um aplicativo voltado para o autocuidado. A ideia é que o funcionário tenha a saúde na palma da mão, então dentro do aplicativo, além do funcionário responder um questionário, que ele imputa as informações da saúde no aplicativo. O aplicativo também dá algumas ações para o funcionário ter em mãos, por exemplo, dentro do botão minha saúde, lá vai estar escrito:”Vitality 2.0”. Lá dentro temos diversas ações baseadas nos pilares do programa, por exemplo, na mente nós temos consultório individual. O funcionário tem o direito de fazer online algumas sessões de yoga, reike, meditação, mindfulness, musicoterapia e yoga.

Mariana: Que ferramenta incrível Dr. Ricardo! Os recursos são bem diversos e interessantes!

Além disso, nós também oferecemos, uma playlist no spotify para fazer meditação. Na parte do aplicativo de exercícios, o funcionário consegue fazer uma aula funcional e individual, baste entrar no aplicativo e clicar no link, além de outras funções que temos. Além do aplicativo e dentro dos sites, dos ambulatórios, nós temos alguns serviços de saúde, que é a parte de nutrição e psicoterapia. Que inclusive essas pessoas que estão participando do podcast, são pessoas que trabalham dentro do site da DSM.

Acho importante que além do funcionário ter a saúde na mão dele, através do programa/aplicativo Avatar da Saúde, nós temos, internamente, para operar a ação, as atividades dentro da unidade.

Dentro do aplicativo Avatar da Saúde nós temos também o botão escrito “contato”, nosso programa de serviço da saúde não só para o funcionário, mas também para todas as pessoas que moram com ele.

Mariana: Que time maravilhoso esse, hein Dr. Ricardo? Hoje foi completo! Nós tivemos aqui o Dr. Ricardo Faria, médico do trabalho da DSM; a nutricionista Siene Rodrigues; a psicóloga, Aline Dermiglio e a preparadora física, Flávia Costa, profissionais da área de saúde e bem-estar da DSM. Espero que todos vocês tenham gostado desse quarto episódio. Para ficar por dentro de todas as ações da campanha, fiquem ligados nos canais internos de comunicação da DSM e acessem a Rádio DSM que é www.radiodsm.com

E agora eu quero ouvir a sua voz! Mande para a gente uma mensagem para o WhatsApp oficial da campanha 55 11 98.960.4711 e conte o que achou do podcast!

Espero vocês no próximo episódio que é muito em breve! Até lá! Tchau tchau!

_Vinheta

Junte-se a discussão